Translate

quarta-feira, 1 de agosto de 2018

FILME GRAVADO NO FIG QUESTIONA A LIBERDADE




Documentário gravado durante o 28º FIG - Festival de Inverno de Garanhuns questiona a liberdade, que foi tema desta edição do evento. O filme traz relatos diversos: um artista de rua, um remanescente quilombola e uma transexual são alguns dos personagens reais deste filme. A narrativa do curta de cerca de 10 minutos é entrecortada por cenas de uma performance de Jackson Freire, artista natural de Caruaru, filmada no centro da cidade. “Falsa Liberdade” é fruto de uma oficina de iniciação ao cinema que aconteceu durante toda a semana passada.
Marlom Meirelles, coordenador do projeto, explica que em cada oficina os alunos são responsáveis pela escolha dos temas dos documentários produzidos, assim como assumem funções para a realização prática. “Era praticamente impossível não realizar um filme que tratasse sobre a liberdade, uma vez que ela foi tema de um festival que teve a liberdade de expressão tão questionada durante os últimos dias. Nesses tempos de intolerância, o cinema cumpre um papel fundamental de refletir sobre nós mesmos enquanto sociedade", afirma Marlom. "Se há algum desconforto, questione. Este é o papel da arte. Ela transgrede, interroga, provoca, e nos tira da zona de segurança”, completa.
“Falsa Liberdade” foi exibido na Escola Henrique Dias durante a culminância das atividades de formação realizadas pela Secult, em parceria com a Prefeitura de Garanhuns. Logo após, ganhou a internet. Dez alunos participaram da oficina e são os co-diretores do filme.

Assista:

SINOPSE:
“Falsa Liberdade” reflete sobre uma sociedade que categoriza, marginaliza e criminaliza populações inteiras, minorias numericamente volumosas que são sub-representadas e empurradas para vidas na sombra, ignoradas ou pisoteadas. Contudo é também onde há luta, construção de afetos e a esperança num futuro melhor.

SOBRE O PROJETO:
A oficina introduz os participantes no universo da realização documental em vídeo, proporcionando o início da construção de um repertório teórico/prático a cada estudante. São abordadas questões técnicas e estruturais que compõem a narrativa documental, visando a percepção de algumas das inúmeras possibilidades para o desenvolvimento de um projeto. Ao final de cada oficina é produzido um documentário e as aulas são ministradas pelo cineasta e educador Marlom Meirelles. Esta ação é desenvolvida pela Eixo Audiovisual, através do patrocínio do Funcultura Audiovisual - Governo de Pernambuco.


Nenhum comentário:

Postar um comentário