Translate

terça-feira, 22 de maio de 2018

POLÍCIA CIVIL DEFLAGROU DUAS OPERAÇÕES E CUMPRIU MAIS DE 30 MANDADOS DE PRISÃO EXPEDIDOS CONTRA PESSOAS SUSPEITAS DE INTEGRAREM UMA QUADRILHA DE ROUBOS DE CARGAS, TRÁFICO DE DROGAS E HOMICÍDIOS NA REGIÃO DE CARUARU







A Polícia Civil de Pernambuco deflagrou na manhã de hoje (22.05.18), duas Operações de Repressão Qualificada (ORQ), a Operação denominada "BARRA AZUL", decorrente de investigação realizada pela 14ª DESEC (Caruaru), sob a presidência da Delegada Polyanne Farias, com a assessoria do Núcleo de Inteligência do Agreste e da Diretoria de Inteligência da Polícia Civil-DINTEL, com o objetivo de desarticular organizações criminosas voltadas para a prática de roubo de carga, tráfico de drogas e homicídios no estado e "FIDÚCIA", vinculada à Diretoria Integrada Especializada-DIRESP, que foi desenvolvida pela Delegacia de Roubos e Furtos de Cargas, do Departamento de Repressão aos Crimes Patrimoniais (Depatri). Ambas com o apoio do serviço de inteligência e participaram das operações 225 policiais civis. As ações objetivavam dar cumprimento a 34 mandados de prisão e 30 de busca e apreensão em Bezerros, Recife, Gravatá e São Caetano.



O delegado do DEPATRI, Dr. Edmilson Batista, investiga os criminosos envolvidos em roubos de cargas e ressaltou que essa quadrilha tinha atuação também em outros estados, pois um dos alvos foi preso quando tentava embarcar no aeroporto de Teresina no Piauí e um outro foi preso na cidade de Gramado no Rio Grande do Sul.



A delegada seccional de Caruaru, Dra. Polyanne Farias, preside a investigação da Operação Barra Azul e informou que essa nomeclatura é uma referência a uma das cachoeiras da cidade de Bonito e que o grupo é envolvido em crimes como o tráfico de drogas, roubos de cargas, posse de armas de fogo e homicídios, que a investigação foi iniciada em Julho do ano passado a partir do registro de um assassinato em Bonito, que além desse, outros nove assassinatos são atribuídos ao grupo e que pelo menos sete homicídios foram evitados nesse período. Ela ainda afirmou que a quadrilha era comandada por Anderson Duarte da Silva Nascimento e Amarildo Renê da Silva Ferreira, que foi morto na segunda-feira da semana passada no estacionamento externo da CEASA no Recife. Armas, munições e drogas foram apreendidas nas operações.








Além do Anderson, foram presos na operação, Cristiano José da Cunha e Silva; Felipe Cesar Veiga Lima; Marcelo Roque; Silvanio Nunes do Nascimento; Maria Valquíria da Silva; Adnailton Carlos da Silva; José Nelson Borba Filho; Marilene Pereira da Silva; Sérgio Ricardo de Carvalho; Vanessa Bezerra de Lima; Cícero José de Lima; José Silvano Simão da Silva; Marcelo de Souza; Maria de Fátima da Silva; Mirelle Rayane da Silva e Jacieudo José da Silva, além de outros que foram presos temporariamente, inclusive um policial militar e por isso não tiveram os nomes divulgados. 
 
O delegado chefe da Polícia Civil de Pernambuco, Dr. Joselito Kerlle do Amaral, ressaltou que estas foram a 16ª e a 17ª operações de Repressão Qualificada do ano no estado, e que os envolvidos na quadrilha investigada pela Delegacia de Roubos e Cargas, atuavam de forma ousada, valendo-se da confiança que detinham para a prática dos crimes. Que a investigação começou em outubro de 2017, com objetivo de prender integrantes de uma Associação Criminosa, voltada para a prática dos crimes de associação criminosa; roubo majorado; furto qualificado; apropriação indébita qualificada e comunicação falsa de crime.


  
Os presos foram levados para o IML, onde foram submetidos a exames traumatológico, em seguida os homens foram recolhidos á Penitenciária Juiz Plácido de Souza e as mulheres para a Colônia Penal Feminina na cidade de Buíque.


Nenhum comentário:

Postar um comentário