Translate

sexta-feira, 12 de janeiro de 2018

EM GARANHUNS DIARISTA É ENCONTRADA MORTA EM ESTADO DE DECOMPOSIÇÃO, MAS DEVIDO A FALTA DE MATERIAL DE TRABALHO EQUIPE DO IML RETARDA O RECOLHIMENTO DO CORPO


Na manhã de hoje (12.01.18), moradores da Rua Antonio Carlos Jobim, Bairro Francisco Simão dos Santos Figueira (Cohab 2), Garanhuns, entraram em contato com a polícia informando que um forte odor estava sendo exalado da residência de uma senhora conhecida por NENÉM moradora da localidade, a qual segundo os vizinhos era muito simpática e comunicativa, que costumava sempre andar a pé e cumprimentar as pessoas que encontrava, porém há alguns dias ninguém a via no setor.
Diante dos fatos o policiamento seguiu ao local e ao abrir a porta, localizou o corpo da vítima, a diarista  EDNILZA ALVES DA SILVA, 57 anos, já em adiantado estado de decomposição, sentada em uma cadeira, aparentando morte natural. 
A Polícia Civil compareceu ao local e após os trâmites legais acionou a Unidade do IML para realizar a retirada do corpo e condução ao SVO em Recife para que fosse descoberta a causa morte, mas devido a unidade encontrar-se sem o saco usado no recolhimento de corpos, o corpo de dona Neném não pode ser removido.
O imóvel foi interditado e a equipe do Corpo de Bombeiros, solicitou ao órgão em Recife o envio dos sacos, que foram enviados par Caruaru, tendo a equipe de deslocar-se até Caruaru, para buscar o material de trabalho, retornar à Garanhuns, recolher o corpo e assim fazer a condução  ao SVO em Recife.

Moradores da localidade reclamam do mal cheiro exalado e da demora na retirada do corpo. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário