Translate

terça-feira, 3 de outubro de 2017

28 PESSOAS INCLUINDO UM ADVOGADO FORAM PRESAS DURANTE A OPERAÇÃO GARANHUNS VERDE



A Operação Garanhuns Verde deflagrada na manhã de hoje (03.10.17), resultou na prisão de 28 pessoas e 23 apreensões. A Operação teve como principal objetivo desarticular organizações criminosas que agiam em Garanhuns, Caruaru, Recife, Correntes, Lajedo, Bom Conselho, Lagoa do Ouro, Toritama, além de duas cidades de Alagoas.Um advogado foi preso, de acordo com informações do chefe da Polícia Civil, o mesmo era o interlocutor dessas organizações criminosas, “Essa é uma operação que beneficiou vários municípios da região e é de todo o estado, além de cidades de Alagoas. Tivemos a desarticulação de três organizações criminosas distintas, que contavam com o apoio de um Advogado, que foi preso por porte ilegal de arma de fogo, sendo o seu veículo apreendido é submetido a averiguação“.

O chefe de Polícia Joselito Kehrle disse que o advogado atuava como interlocutor de todas as três quadrilhas desarticuladas, “Nessas prisões nós temos o envolvimento de pessoas que praticaram diversos crimes, como tráfico de drogas,  homicídios, associação para o tráfico, organização criminosa, clonagem e roubo de veículos. 



O Advogado era o interlocutor dessas quadrilhas“. De acordo com a Polícia, foram apreendidos sete mil reais em espécie, cinco quilos de crack, um quilo de cocaína, vinte e quatro relógios de luxo, oito armas, quatro veículos, trinta placas e vinte lacres oficiais do DETRAN-PE. Ainda de acordo com a Polícia Civil, a investigação já vinha sendo estudada, “há aproximadamente um ano que essas quadrilhas vinham sendo investigadas, era um grupo muito grande. Foram presas inicialmente dezesseis pessoas, e hoje mais de cinquenta ao todo. 


Iremos dar sequência às investigações. Tudo iniciou após aprendermos um veículo clonado, a partir daí conseguimos chegar ao resto do bando. Tivemos 100% de aproveitamento nesta Operação”, destacou o chefe de Polícia. Participaram desta operação mais de cento e cinquenta policiais civis, entre eles delegados, escrivães e agentes. 

Os policiais que atuaram vieram de diversas cidades, como Caruaru, São Caetano, Toritama, Santa Cruz  de outras cidades do Agreste. Além da Polícia Civil, a Polícia Militar colocou à disposição trinta policiais que atuaram nas prisões e apreensões. Uma Escola da rede municipal de ensino foi usada para que os presos fossem levados, uma vez, em que a Delegacia de Homicídios ficou pequena para o número de pessoas presas.


Nenhum comentário:

Postar um comentário